Abelhas: Três pesticidas proibidos na Comunidade Europeia

Botânica | Biodiversidade | Ciências Políticas

Joaquim Santos, joaquimsantos@gmail.com | 30/04/13 | Coimbra

Três pesticidas vão ser proibidos na União Europeia devido às evidências científicas de que causam a morte das abelhas.

«As abelhas são vitais para o nosso ecossistema e é preciso protegê-las, sobretudo porque fornecem uma contributo anual de 22 mil milhões de euros à agricultura europeia», declarou o comissário europeu encarregado, Tonio Borg.

A proibição destes pesticidas, conhecidos por neonicotinóides, aplica-se em todas as culturas, exceto cereais de Inverno e plantas não atraentes para as abelhas, tais como a beterraba açucareira, entrando em vigor a partir de 1 de dezembro. A medida será temporária, já que a Comissão Europeia se propõe a rever a decisão dentro de dois anos.

Os fabricantes destes pesticidas e alguns cientistas alegam que não foi comprovada a ligação entre o uso de neonicotinóides e um acentuado declínio no número de abelhas na Europa nos últimos anos – um fenómeno conhecido como “desordem de colapso da colónia”. Mas a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos considerou que os riscos existem e foi nessa base que a Comissão Europeia elaborou a proposta de proibição, agora aprovada pelos estados-membros.

comentários

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar através do formulário abaixo.
Quer comentar? Você precisa entrar ou se registrar nos INQUIRE

login_sign_in      login_join

Acessibilidade

              

apoiado por

  Share on Facebook