Mulheres cientistas precisam de ter mais voz

Ciências Políticas

Julia, bgci@inquirebotany.org | 14/07/11 | mundial

Apesar de décadas de chamada de atenção, a ciência continua a ser inerentemente sexista. As mulheres estão muito sub-representadas na docência e nas academias nacionais de todo o mundo. Este é um problema conhecido, mas menos conhecida é a forma como esta discrepância se verifica na arena pública da ciência. Num artigo publicado na revista Nature, Jennifer Rohn, uma bióloga celular da University College London, afirma que os comentadores de ciência do sexo masculino dominam a televisão, rádio e imprensa escrita. Ela alega que este desequilíbrio não pode ser simplesmente explicado pela falta de professores do sexo feminino, já que muitos dos comentadores masculinos ainda estão no início das suas carreiras académicas, altura em que os géneros estão mais equilibrados. Então, o que é que está por trás desta invisibilidade de mulheres cientistas nos media? E porque é que este assunto é importante? Jennifer pondera se esta questão tem a ver com a falta de confiança – o que parece não afetar a maioria dos homens. Esta cientista também alega que as mulheres podem sentir-se desconfortáveis com a agressividade presente nas discussões e debates. Poderá o método IBSE ajudar a chamar a atenção para este problema?

http://www.nature.com/news/2010/101208/full/468733a.html

comentários

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar através do formulário abaixo.
Quer comentar? Você precisa entrar ou se registrar nos INQUIRE

login_sign_in      login_join

Acessibilidade

              

apoiado por

  Share on Facebook