Repercussões escolares da aplicação do método IBSE

NOTÍCIAS INQUIRE

Prof.ª Maria Amélia Martins Loução | 30/07/12 | Lisboa

A oficina de formação oferecida pelo Jardim Botânico do Museu Nacional de História Natural e da Ciência – Universidade de Lisboa, sobre a aplicação do método de aprendizagem ativa (IBSE– Inquiry Based Science Education) no ensino da biodiversidade, teve repercussões muito positivas tanto a nível do sucesso escolar como na mudança de atitude dos estudantes perante o ensino das ciências.

Esta oficina contou com a participação de 20 professores do 2º e 3º ciclo do ensino básico e decorreu de 21 de Janeiro a 28 de Abril. Durante este largo período os professores foram motivados a aplicar a metodologia IBSE aos seus alunos, em contexto de sala de aula, e a saber usar instituições como o Jardim Botânico, para lecionar matérias relacionadas com a biodiversidade, a sua sustentabilidade e conservação em contexto de mudança climática global. Os formandos, professores do 2º e 3º ciclo de ensino básico de escolas públicas e privadas da região metropolitana de Lisboa, região Centro e Alentejo, aplicaram esta metodologia em contexto de sala de aula e souberam-na disseminar nas suas escolas.

A aprendizagem permitiu a mudança de atitude a nível de professores, colegas dos formandos que participaram na oficina, de estudantes e pais. Nalgumas escolas, professores, da mesma disciplina ou de outra, foram envolvidos e motivados a participar de forma ativa na aplicação do método, contribuindo de forma transversal e integradora para o desenvolvimento de planos de aula e para o despertar da curiosidade dos estudantes. O entusiasmo e motivação na pesquisa “contaminaram” alguns pais que, de forma ativa e consciente se envolveram nas atividades que os professores ofereceram após o términos da formação.

No fim do ano letivo verificou-se um aumento do sucesso escolar dos estudantes de certos agrupamentos envolvidos neste tipo de aprendizagem. Mas mais importante foi o despertar da curiosidade, do interesse pelo estudo e pesquisa, pela vontade demonstrada em colocar questões e, acima de tudo, por compreenderem que está neles a capacidade de procurar resolver e solucionar as questões que se levantam.

comentários

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar através do formulário abaixo.
Quer comentar? Você precisa entrar ou se registrar nos INQUIRE

login_sign_in      login_join

Acessibilidade

              

apoiado por

  Share on Facebook