Abate de Veados no Reino Unido – Sensibilidade vs. Ciência

Ciências Políticas

Kate Whittington, kate.whittington@bgci.org | 14/03/13 | London

Um estudo recente, desenvolvido por cientistas da University of East  Anglia recomenda que cerca de 50% das populações de veados e corços sejam eliminadas de forma a controlar a sua expansão excessiva.

O estudo avalia os números, proporção de sexos e a fertilidade dos indivíduos, corços e veados na região de Breckland e salienta e importância de eliminação de 53% dos veados e 60% de corços a cada ano, de forma a evitar o crescimento destas populações. Reduzir os seus números implicaria uma matança ainda maior.

Hoje em dia existem mais veados e corços no Reino Unido do que em qualquer altura desde a Era Glaciar. Se as recomendações do estudo forem levadas a sério em todo o Reino Unido, isto poderia significar uma matança de 750,000 veados e corços. A caça a estas espécies é já permitida mas a uma escala muito menor. O cientista responsável por este estudo, Dr. Paul Dolman aconselha que o abate deverá ser praticado apenas por caçadores devidamente licenciados e treinados, de forma a manter as populações estáveis devido à falta de predadores naturais nos seus habitats.

O facto interessante, é que a principal razão pela qual estas espécies não tem predadores naturais é porque espécies como o lobo, lince e urso foram caçados até à extinção no Reino Unido o que coloca a questão – porque é que consideramos aceitável a morte destas espécies predadoras e não a morte dos veados e corços?

As emoções normalmente “borbulham” forte quando é relacionada com a morte de animais e assuntos como este tornam-se inevitavelmente filosóficos mais do que científicos. 

Veados e corços são inevitavelmente animais acarinhados e atractivos e durante séculos foram rodeados de folclore e cultura popular – Como o adorável Bambi da Disney – eles são vistos como animais gentis e adoráveis. São estas percepções responsáveis por causarem danos?

As populações de veados e corço estão a aumentar rapidamente e tornaram-se uma das maiores ameaças às florestas do Reino Unido. O sobrepastoreio por estes animais estão a ter um efeito devastador nas plantas e árvores, sobretudo nos jovens rebentos que nem chegam a atingir a maturidade. Por sua vez, isto reduz a cobertura necessária para que as aves construam os seus ninhos e a protecção necessária que tanto precisam, tanto aves como pequenos mamíferos. A eliminação de algumas destas populações permitirá a regeneração de árvores e plantas em muitos zonas, sustentando a biodiversidade destes locais, aumentando a variedade de plantas e de muitos animais que delas necessitam.

As recentes criticas às propostas governamentais de comercialização do material florestal do Reino Unido mostram que o público se preocupa com as florestas, então porquê a protecção desmedida aos veados e corços em detrimento das florestas?



comentários

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar através do formulário abaixo.
Quer comentar? Você precisa entrar ou se registrar nos INQUIRE

login_sign_in      login_join

Acessibilidade

              

apoiado por

  Share on Facebook